Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Memória Rádio Vintage: Os Carros da Gurgel
21/11/2019 21:16 em Tecnologia

Quem já passou dos 30 ou 40 anos, certamente se lembra – ou pelo menos já ouviu falar – da Gurgel Motores S/A, montadora genuinamente brasileira que, tanto por seu pioneirismo quanto por sua ousadia, tornou-se um ícone da história automobilística nacional. E quando o assunto é a Gurgel, fica difícil não pensar num certo “revanchismo” por parte do governo brasileiro, que tem sua parcela de responsabilidade no ocaso de uma empresa marcada por uma visão de futuro.
Fundada em setembro de 1969 pelo engenheiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel, a empresa iniciou suas atividades produzindo karts e minicarros, mas logo deu início à fabricação do bugre Ipanema, seu primeiro automóvel de fato. Ao longo de seus 27 anos de existência, a Gurgel produziu cerca de 43 mil unidades, com destaque para o Xavante X12-TR (1972), Xavante X12 (1975, um modelo famoso por suportar bem as terríveis estradas brasileiras), o G800 (1980), o jipe Carajás (1984) e os consagrados BR800 (1988) e Supermini (1992, um carro pensado para o trânsito das grandes cidades). 
No exterior a Gurgel também agradava: entre 1977 e 1978, 25% dos automóveis da montadora seguiram para outros países. Além disso, em 1979, toda a linha teve boa aceitação no Salão do Automóvel de Genebra (Suíça), ocasião aproveitada para o lançamento do furgão X15. Reconhecida por sua ousadia, a Gurgel produziu, na década de 1970 em caráter experimental, o Itaipu, primeiro modelo nacional 100% elétrico.
Todavia, quando a Gurgel entrou em crise no início da década de 1990, o sucesso obtido anteriormente pela empresa não foi suficiente para contornar seus problemas financeiros, impulsionados por medidas governamentais como a abertura do mercado nacional aos importados, as facilidades concedidas às montadoras estrangeiras (através da política de “carros populares”) e a negativa ao pedido de socorro feito pela montadora. A falência da Gurgel veio em 1994, mas a empresa permaneceu parcialmente ativa até 1996. João Augusto do Amaral Gurgel morreu em 2009, aos 83 anos. 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!