Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Quadrinhos Vintage: “Jonah Hex”
24/10/2019 00:23 em Novidades

 Jonah Hex não era um mau sujeito – mas também não era bom, muito embora pudesse ter uma índole ainda pior! O personagem do Velho Oeste foi criado no início da década de 1970 pelos cartunistas de pulp fiction John Albano e Tony De Zunga. Porém, o sucesso do anti-herói não permitiu que suas histórias permanecessem no segmento “B” dos quadrinhos por muito tempo, e logo os direitos da publicação foram adquiridos pela poderosa DC Comics.
Pistoleiro e caçador de recompensas, Jonah Hex teve o lado direito deformado por um chefe apache, que utilizou uma machadinha em brasa para fazer em seu rosto a “marca do demônio”. Tal punição aconteceu após Jonah Hex esfaquear seu oponente durante uma luta, contrariando a lei Apache que permitia apenas o uso da machadinha. Ao fazer isso, o chefe Apache mostrava a todos a personalidade dúbia de Hex: metade boa, metade perversa. 
Entre um momento e outro, o pistoleiro enfrentava Quentin Turnbull, seu principal inimigo ou, não obstante, vivia algum tipo de conflito com seu pai, Woodson Hex, um golpista contumaz e alcoólatra degenerado que, após ser abandonado pela mãe de Jonah Hex, decidiu vender o filho, então com 13 anos, para uma tribo Apache. A despeito dos inúmeros perigos enfrentados por Hex ao longo da vida, seu momento derradeiro deu-se em 1904, quando foi assassinado covardemente durante um jogo de cartas.
No Brasil, as aventuras de Jonah Hex foram publicadas pela extinta Editora Ebal na revista Reis do Faroeste, mas logo passou a ter uma publicação própria que duraria até 1984. No cinema, o personagem foi vivido pelo ator Josh Brolin num filme lançado em 2010 e que se tornou um fracasso de bilheteria, em parte devido às mudanças feitas em Jonah Hex que ganhou, inclusive, poderes paranormais – algo inconsistente com a versão original dos quadrinhos.

COMENTÁRIOS