Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Entrevista com Paulo Telles, autor de "Paladino Do Oeste"
21/10/2018 17:01 em Novidades

Paulo Telles não para: além de produzir o Cine Vintage e editar o blog “Filmes Antigos Club – A Nostalgia Do Cinema”, o apresentador lança agora, pela editora Estronho, seu primeiro livro, “Paladino do Oeste”. A Rádio Vintage convidou Paulo Telles para um bate-papo, ocasião em que o autor nos contou sobre suas expectativas acerca de seu livro e planos para o futuro.  

Rádio Vintage: Há um grande número de seriados consagrados do gênero Western, como "Bonanza", "Os Pioneiros" e "Gunsmoke". Por que você escolheu "Paladino do Oeste"?

Paulo Telles: A escolha partiu da Editora Estronho que, através de Saulo Adami, coordena a Coleção TV Estronho, dedicada a resgatar a memória destes grandes clássicos da TV mundial. O editor é Marcelo Amado. Tem inúmeros seriados no gênero Western, de fato, mas estes citados ainda serão abordados brevemente e já estão pautados para novos trabalhos pela editora. Sou fã da série “Paladino do Oeste” e o mais curioso é que, antes de conhecê-la pela TV, eu a lia pelos gibis da EBAL (Editora Brasil-América) e já conhecia o ator Richard Boone, seu intérprete, por conta de seus diversos trabalhos no cinema e pela série televisiva “Hec Ramsey” (1972-1974).

Rádio Vintage: Como foi sua parceria com Saulo Adami? Vocês têm projetos para o futuro?

Paulo Telles: Já conhecia Saulo Adami através das matérias que redigia para a extinta revista Cinemin (EBAL), lá pelo final da década de 1980. Em 2015, tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente ao recepcioná-lo em sua chegada ao Rio de Janeiro para o lançamento de seu livro Homem Não Entende Nada – Arquivos Secretos do Planeta dos Macacos (Ed. Estronho, 2015) no Planetário da Gávea, e a partir daí começamos a discutir o projeto para Paladino do Oeste. Tornamo-nos amigos e fomos trocando ideias. Como viu que eu era fã da série e entendedor de filmes sobre o Velho Oeste (um estilo que verdadeiramente aprecio), Saulo me convidou para trabalharmos juntos nesse livro. Assim, passamos a nos dedicar às pesquisas: livros, jornais antigos, revistas, sites e blogs sobre cinema e TV do Brasil e do exterior, além de conversas com fãs que também colaboraram para com a obra, constituíram a matéria prima para compormos Paladino do Oeste. Temos mais projetos para o futuro, com certeza. Pretendemos ainda escrever sobre as séries As Aventuras de Rin Tin Tin (1954-1959) e Bonanza (1959-1973) e no próximo ano ainda lançaremos Tarzan no Cinema, com selo de qualidade da Editora Estronho.

Rádio Vintage: Qual sua opinião a respeito da ausência de novos seriados na linha de "Paladino do Oeste"? O que mudou: o público ou a TV?

Paulo Telles: Diria que ambos mudaram. O público de hoje não é o mesmo de 60 anos atrás, quando Paladino do Oeste estreou.  A televisão muda à medida que o público passa a ter novos comportamentos e mudanças sociais. Entretanto, há ainda produtores e roteiristas que apostam em séries na linha do Paladino, embora com pouca frequência, tentando adaptar aos moldes do mundo de hoje. Mas isso é trabalho que exige gabarito e habilidade de um bom script. Já na época de Paladino do Oeste, a série abordava algumas questões sociais que eram tabus na TV no final da década de 1950, como a emancipação feminina e o racismo, eventos que fizeram parte da luta pelos Direitos Civis nos Estados Unidos.

Rádio Vintage: Como foi a experiência de escrever um livro? Fale um pouco de suas expectativas em relação a este trabalho.  

Paulo Telles: Foi imensamente gratificante. Sempre desejei publicar um livro sobre cinema ou TV. Paladino do Oeste me abriu as portas para um mundo novo. Ter seu lançamento em um dos eventos mais importantes de literatura do país, o Literatiba, que vai acontecer na PUC de Curitiba no próximo dia 2 de novembro, é motivo de muito orgulho. Estarei não somente autografando o livro e interagindo com fãs e leitores, mas estarei ao lado de pessoas muito queridas, que me ajudaram na introdução desta jornada, em especial Saulo Adami. Esperamos que Paladino do Oeste agrade os amantes de Westerns, gênero que incrivelmente tem muitos apreciadores no Brasil. E também que agrade àqueles que simplesmente curtam aqueles tempos saudosos, quando a televisão era ainda à “lenha”.  

 

Para adquirir seu exemplar de “Paladino do Oeste”, de Paulo Telles, acesse: https://www.lojaestronho.com.br/

 

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!